• cirurgia
  • cirurgia
  • cirurgia
  • cirurgia
  • cirurgia
Perguntas mais frequentes
Tire suas dúvidas, será um prazer atendê-lo.

Telefone
(041)* 3056-6500

WhatsApp da Odontoville
(041)*99889-9489
Seg à Sex - Horário Comercial

Atendimento somente particular
Não atendemos convênios



APARELHO ORTODÔNTICO - PERGUNTAS FREQUENTES
Fonte: OdontoVille Pinhais - 17/04/2014 - 10h50min
APARELHO ORTODÔNTICO - PERGUNTAS FREQUENTES

O tratamento ortodôntico pode ser feito em pacientes de qualquer idade?
O tratamento ortodôntico pode se iniciar em qualquer idade. Muitos problemas ortodônticos são mais fáceis de corrigir quando diagnosticados numa idade mais jovem, antes que o crescimento e consolidação das bases ósseas cessem. O tratamento precoce com aparelho ortodôntico pode evitar o tratamento cirúrgico e outras complicações futuras. A Associação Americana de Ortodontia (American Association of Orthodontists – AAO) recomenda uma avaliação não mais tarde que os sete anos de idade. O tratamento ortodôntico contemporâneo não é mais limitado a crianças e adolescentes. Mais e mais adultos procuram o tratamento ortodôntico em busca de um sorriso mais bonito, um perfil mais agradável e gengivas mais saudáveis. Hoje, cerca de ¼ dos tratamentos ortodônticos realizados são em adultos. Isso é uma grande mudança ocorrida nos últimos 20 anos, quando a ortodontia cuidava apenas de crianças.

A procura pelo uso de aparelhos ortodônticos é muito grande?
O tratamento ortodôntico é um dos procedimentos mais procurados em nossa clínica. Embora a maioria dos pacientes seja de jovens, crianças e adolescentes, notamos uma crescente frequência de adultos que buscam esse tratamento.

Como funciona o tratamento?
A ortodontia funciona através de forças leves e constantes para movimentar os dentes de forma gradual. Os braquetes podem ser de metal, porcelana ou plástico. Quando o fio é passado por dentro do braquete, ele exerce uma leve força para voltar ao seu formato original. Com isso, uma leve pressão é feita ao dente, levando-o à posição desejada. Para cada estágio do tratamento diferentes fios com diferentes formas e dobras são utilizados durante todas as fases do tratamento.

Como ocorre a movimentação dos dentes?
Os dentes se movimentam durante o tratamento ortodôntico devido ao fato do osso alveolar (osso onde estão inseridos os dentes) poder se remodelar. Fios e braquetes exercem forças no dente, que por sua vez são transferidas aos tecidos periodontais (fibras e tecidos de suporte que se encontram entre os as raízes dos dentes e o osso). Essas células respondem através de uma série de ativações a nível molecular, promovendo a remodelação óssea, e resultam na movimentação dentária planejada. Por isso, é muito importante compreender os níveis de forças aplicadas, o processo de reorganização celular e a remodelação da estrutura óssea e periodontal ao redor dos dentes para alcançar o movimento dentário desejado. A estrutura de suporte do corpo humano, o esqueleto, é remodelada durante toda a vida por um sistema bem coordenado de dois tipos de células, os osteoclastos e os osteoblastos. Osteoclastos reabsorvem o osso velho enquanto os osteoblastos são responsáveis pela formação de novo osso nas áreas reabsorvidas. Todo esse sistema funciona em ciclos, de modo que todo o esqueleto é continuamente renovado enquanto a integridade estrutural não é afetada. O ciclo de remodelação óssea é sintonizado pelos osteoblastos e consiste em uma série complexa de eventos celulares e moleculares, diretamente ligados a hormônios, a citocinas e a fatores de crescimento. Aproveitando-se desse sistema bem sintonizado, a ortodontia e a ortopedia facial conseguem mover dentes e melhorar os formatos de arcos dentários. Através da manipulação e aplicação de cargas mecânicas é possível criar mudanças nesse sistema, atuando de forma biológica e alcançando o efeito terapêutico desejado.

Quais são os passos para a montagem do aparelho fixo?
Antes da montagem do aparelho ortodôntico, uma limpeza rigorosa é feita, a fim de eliminar restos de alimentos e cálculo dentário, e diminuir a quantidade de placa bacteriana. Os principais componentes do aparelho fixo são: bandas, braquetes e fio ortodôntico. As bandas são anéis metálicos que envolvem os dentes posteriores (molares), que servem de guia para o fio ortodôntico. A colagem dos braquetes aos dentes é feita através de um sistema adesivo, o que permite uma boa adesão do braquete ao dente e, ao mesmo tempo, facilita a remoção ao final do tratamento. Por último, é inserido o fio ortodôntico dentro da canaleta dos braquetes até a banda dos molares. Outros acessórios e dispositivos, como mini-implantes, placa lábio ativa, barra transpalatina e acessórios externos podem ser montados e usados durante todo o tratamento.

Quanto tempo leva a montagem do aparelho ortodôntico?
O aparelho ortodôntico é, geralmente, montado em um período de uma hora a uma hora e meia.

Qual é o tempo entre uma consulta e outra?
Geralmente as consultas são marcadas uma vez a cada quatro ou seis semanas. No início do tratamento, as consultas podem ser marcadas em intervalos menores, devido à montagem completa do aparelho ortodôntico.

Quanto tempo demora o tratamento?
O tempo de duração do tratamento dependera do tipo de tratamento escolhido. Os tratamentos mais comummente realizados são: tratamento de ortopedia facial, tratamento ortodôntico corretivo e o tratamento ortodôntico-cirúrgico.
Os tratamentos de ortopedia facial são realizados apenas em crianças e adolescentes que ainda não atingiram a maturação esquelética completa, portanto ainda estão no período de crescimento. Este tipo de tratamento em media a duração de um ano a um ano e meio.
Já no tratamento ortodôntico corretivo, no qual é o usado o aparelho fixo, o tratamento pode variar em media de um ano a três anos.
O tratamento ortodôntico-cirúrgico é o tratamento de escolha para o paciente que apresenta algum tipo correção onde é necessário o uso do aparelho fixo por um tempo, e seguido por uma intervenção cirúrgica. Este tipo de tratamento tem o tempo de duração de dois a quatros anos de tratamento. Apesar de estes serem tempos médios de tratamento, o tempo total de tratamento dependera diretamente da à variação individual, o grau de correção necessária e da colaboração de cada paciente.

Qual a diferença entre o aparelho removível e o aparelho ortodôntico fixo?
O aparelho removível é mais indicado para o tratamento ortopédico. Esses aparelhos agem com o objetivo de inibir, estimular ou direcionar o posicionamento e/ou o crescimento da maxila ou da mandíbula, sendo assim, são os mais indicados para crianças e adolescentes que ainda apresentam um potencial para crescimento.
Outros tipos de aparelho removível são usados para corrigir pequenos problemas dentários. Esses aparelhos não são indicados para a correção de apinhamentos maiores ou grandes problemas de oclusão, primeiramente devido ao fato de serem removíveis e não agirem de forma constante sobre os dentes, e também por serem limitados nos movimentos que podem realizar.
Alinhadores transparentes, como o sistema Invisalign, são aparelhos removíveis, porém com maiores recursos de movimentação. O aparelho fixo, como o próprio nome já diz, é colado aos dentes, um a um, permitindo maior controle e movimento dos dentes.

Quais são os diferentes tipos de aparelhos estéticos?
Os aparelhos ortodônticos estéticos podem ser fixos ou móveis. Nos casos dos aparelhos fixos, os braquetes podem ser de porcelana ou de safira. Os aparelhos removíveis são conhecidos como alinhadores, como do sistema Invisalign.

Os aparelhos ortodônticos estéticos fixos servem para todos os casos?
Sim. O aparelho estético tem as mesmas funções que o aparelho ortodôntico fixo metálico, portanto, a terapêutica e as etapas no tratamento ortodôntico não se diferenciam entre os aparelhos metálicos e os aparelhos estéticos.

O aparelho ortodôntico estético quebra com mais facilidade?
Devido o fato dos braquetes estéticos ser feitos de porcelana, eles apresentam uma fragilidade maior quando comparados aos braquetes metálicos. Porém, os cuidados devem ser os mesmos (evitar alimentos duros).

Os braquetes de porcelana ou de safira mancham?
Não. O que amarela com o tempo são as ligaduras, ou borrachinhas, que prendem o fio ortodôntico nos braquetes. Já nos aparelhos estéticos auto ligáveis, isso não ocorre devido ao fato de não usarem ligaduras.

O tratamento ortodôntico dói?
As ativações podem deixar os dentes sensíveis ao toque e à mastigação durante os três dias seguintes. Nesse período, o paciente deve evitar alimentos mais consistentes. Após esses dias, a dor tende a dissipar-se.

Quais alimentos devem ser evitados durante o tratamento ortodôntico?
O paciente deve evitar alimentos duros como castanhas, nozes, amêndoas, balas, doces, pipoca e milho na espiga, pois podem quebrar ou soltar os braquetes dos dentes. Alimentos duros como cenouras e maçãs devem ser cortados em pedaços menores.

Os braquetes podem desencadear uma reação alérgica?
Sim. O paciente ortodôntico que apresenta hipersensibilidade a níquel, a cobre e a cromo representa um dado estatístico de 1 a 3%. Os sintomas geralmente são uma dermatite e inflamação dos tecidos que estão em contato com estes metais. Esses sintomas são reversíveis, uma vez que o agente causador é removido. Nesses casos, braquetes de diferente composição devem ser usados.

O que fazer antes de iniciar um tratamento ortodôntico?
Todas as caries devem ser removidas e restauradas antes de iniciar o tratamento ortodôntico. Se um tratamento periodontal é necessário, ela provavelmente terá que vir em primeiro lugar também, no entanto em alguns casos ele pode ser feito em conjunto.

Quais exames são necessários para a avaliação ortodôntica?
Durante a consulta inicial com o especialista, apesar de alguns detalhes poderem ser percebidos como características faciais, grau de apinhamento, desvios no fechamento da boca, etc.; para que a avaliação seja completa e precisa, alguns exames são necessários para que o especialista tenha uma completa dimensão do caso. Os recentes avanços na radiografia digital e principalmente na tomografia tipo cone beam, permitem que o ortodontista faça um diagnóstico mais preciso. O conjunto básico de registros que são obtidos em todos os casos é:
- Uma história de saúde médica e odontológica completa.
- Modelos de estudo de gesso dos dentes, que são obtidos através de moldes das arcadas superior e inferior.
- Exames de raios-x: radiografia panorâmica, telerradiografia cefalométrica lateral, radiografia de mão e punho.
- Fotografias extraorais faciais
- Fotografias intra orais

Os dentes podem voltar à posição que estavam antes do tratamento?
Recidiva é definida como a tendência dos dentes migrarem para sua posição e angulação original pré-tratamento. São muitos os fatores biológicos e mecânicos que determinam a quantidade de movimento dos dentes durante o tratamento ortodôntico. Um ambiente fisiologicamente dinâmico e complexo também determina a recidiva que ocorre após o término da movimentação. Em geral, a quantidade de movimentação dos dentes é proporcional às chances de recidiva, isto é, quanto mais mal alinhados, girados ou onde grandes movimentações foram feitas, maiores as chances de recidivas. Fatores que podem levar os dentes para as suas posições pré-tratamento incluem quantidade de forças exercidas, duração dessas forças, distância dos movimentos dentários, entre outros. É importante lembrar que o potencial de recidiva é grande durante o período de tempo imediatamente após a remoção do aparelho ortodôntico, porém pode ser minimizado com o uso da contenção.

O que são aparelhos auto-ligáveis?
Nos aparelhos ortodônticos convencionais, o arco ortodôntico é preso ao braquete através de elásticos coloridos ou pequenos fios de aço inoxidável. Esse sistema causa muito atrito e faze com que dentes se movimentem num ritmo mais lento. Sendo assim, forças pesadas devem ser aplicadas para superar o atrito inerente ao sistema. Essas forças ​​podem comprimir ou esmagar os delicados vasos sanguíneos que compõem os tecidos de suporte dos dentes. Essa compressão e esmagamento dos vasos causam uma diminuição do fluxo de oxigênio e nutrientes necessários para a movimentação dos dentes, retardando o movimento dentário e prolongando o tempo de tratamento. Além do mais, forcas pesadas promovem um tratamento doloroso. Durante anos, o pensamento tradicional era que forças pesadas eram necessárias para mover os dentes. O Aparelho auto-ligável, no entanto, apresenta uma abordagem completamente diferente. Os braquetes auto-ligáveis apresentam uma porta deslizante que prende o fio sem atrito, permitindo que os dentes movimentem-se de forma mais livre, com menos pressão e com forças suaves, alinhando e nivelando os dentes de forma mais rápida através de forcas fisiológicas e, consequentemente, um tratamento mais confortável.

O tratamento ortodôntico com aparelho auto-ligável é mais rápido?
A fase inicial do tratamento, na qual são feitas as correções de nivelamento e alinhamento, é mais rápida. Devido ao fato do fio ortodôntico não ser seguro por ligaduras, o braquete auto-ligável proporciona menor atrito para a movimentação do dente, promovendo maior liberdade de movimento e acelerando o tempo de tratamento. Além de um tratamento mais rápido, diferentemente do aparelho ortodôntico fixo convencional que tem um intervalo mensal de consultas, o aparelho ortodôntico auto-ligável permite um intervalo maior entre uma ativação e outra. Os aparelhos convencionais usam elásticos coloridos para segurar o arco no braquete. Esses elásticos devem ser mudados frequentemente, pois apresentam fadiga e desgaste, manchando ao longo do tempo. Já o aparelho auto-ligável apresenta uma porta deslizante que não se desgasta ou mancha no decorrer do tratamento, permitindo que o arco ortodôntico possa continuar a trabalhar por um período de tempo mais longo. Consequentemente, isso significa um menor número de consultas.

O que é um mini-implante ortodôntico?
O mini-implante ortodôntico é um dispositivo derivado do implante dentário convencional, porém sua maior diferença é o seu tamanho menor e, diferentemente dos implantes convencionais, o mini-implante não é fixado de forma definitiva no osso. Esses mini parafusos, também conhecidos como ancoragem esquelética ou dispositivo de ancoragem temporária, são fixados no osso, proporcionando maior liberdade à técnica ortodôntica, possibilitando maiores movimentos com menores efeitos adversos.

A colocação do mini-implante ortodôntico dói?
A colocação no mini-implante não dói. Ela é feita de forma rápida e sob anestesia local. Um leve desconforto pós-operatório pode ser constatado depois de cessado o efeito anestésico e pode permanecer por dois ou três dias, porém ser minimizado através do uso de analgésicos. Após a colocação do mini-implante, é possível que ocorra uma sensação de corpo estranho, resultante do volume da cabeça do dispositivo, o que, em geral, diminui no período de uma semana. 

Como devo cuidar do mini-implante?
A estabilidade do mini-implante pode ser afetada pela ausência de higiene ou uma higiene deficiente que leva ao acúmulo de placa ao redor do mini-implante, gerando problemas na interface do mini-implante e tecido mole (gengiva) como inflamação aguda, inflamação crônica ou infecção. A higienização do mini-implante é fundamental. Escovas dentais com cerdas macias devem ser usadas, com movimentos suaves, sem forçar o dispositivo temporário de ancoragem. Escovas elétricas não são adequadas para higienizar a região ao redor do implante. O mini-implante é muito susceptível ao estresse ou impacto mecânico, portanto evitar alimentos de consistência dura.

Os braquetes do aparelho ortodôntico machucam a bochecha e a língua?
O início de qualquer tratamento exige um pouco de paciência e adaptação. As bochechas e a língua podem estranhar inicialmente, porém é uma fase de adaptação, o paciente geralmente se adapta em poucas semanas.

Por que tenho que extrair alguns dentes?
Os antigos tratamentos ortodônticos, principalmente nas décadas de cinquenta e sessenta, eram um tanto extracionistas, isto é, em quase todos os casos eram feitos com a remoção de dentes. Muitos desses casos, hoje, teriam uma abordagem diferente, com menos extrações. A extração de dentes deve ser evitada sempre que possível, porém cada caso deve ser analisado individualmente, principalmente casos de apinhamentos grandes e severos. Cabe ao profissional avaliar e propor ao paciente qual decisão tomar, levando em consideração os benefícios e os resultados, tanto estéticos (um belo sorriso) como funcionais (a correta posição e estabilidade dos dentes no arco dentário).

O aparelho ortodôntico causa manchas ou cáries?
O aparelho não provoca manchas nem cáries. O que acontece é uma maior retenção de placa e resíduos alimentares, associada a uma higienização bucal deficiente, o que pode levar à formação de cáries. Durante todo o tratamento ortodôntico, é muito importante que o paciente mantenha uma higienização, isso é escovação, fio dental e bochechos, regularmente. Enfatizamos uma atenção em dobro à higiene bucal, não só pelas cáries, mas também pelo aumento do biofilme (placa e cálculo). O biofilme é o fator desencadeante da gengivite e da doença periodontal, causando sangramento e perda de suporte do dente no arco dentário. Aconselhamos a todos os pacientes que realizam o tratamento ortodôntico, a realizarem uma profilaxia (limpeza) a cada seis meses.

Tenho implantes, posso usar aparelho fixo?
Sim. Porém apenas os dentes podem ser movimentados, os implantes não podem ser movimentados com forcas ortodônticas. O aparelho ortodôntico age nos dentes através dos ligamentos periodontais e do osso alveolar, circundante ao dente.  Esse tecido, encontrado unicamente nessa região, insere o dente ao osso alveolar. De certo modo, ele serve como um meio de comunicação entre os dentes e o osso alveolar. Ele é também responsável por diversas funções como a mastigação, a deglutição e a informação proprioceptiva (sensibilidade de tato que os dentes apresentam e que nos ajuda a diferenciar o quanto devemos exercer de força na mastigação, podendo diferenciar entre um grão de gergelim e uma carne mais dura.). Esse tecido altamente especializado é um fator fundamental para a movimentação dos dentes. Dentes anquilosados, ou seja, que perderam os ligamentos periodontais, não podem ser movimentados. Os implantes dentários não podem ser movimentados ortodonticamente, pois não apresentam o ligamento periodontal devido à osseointegração. Quando forças são aplicadas aos dentes, através de diversos dispositivos, sejam braquetes, fios, elásticos ou aparelhos removíveis, o ligamento periodontal é estendido de um lado e comprimido do outro. A força exercida sobre o ligamento periodontal promove a ativação dos osteoclastos e osteoblastos que, por sua vez, reabsorvem o osso na região de compressão e promovem a nova formação óssea na porção estendida, respectivamente. Esse fenômeno biomecânico que é responsável pela movimentação dos dentes, o que torna impossível a movimentação de implantes.

Os dentes do siso interferem no tratamento ortodôntico ou na estabilidade após o término do tratamento?
Há pouca evidência científica que comprove que os terceiros molares (dentes do siso) são realmente responsáveis por dentes mal alinhados. Se a afirmação fosse correta, não haveria apinhamento (dentes mal posicionados) nos pacientes que fizeram a extração destes dentes ou mesmo nos pacientes que nem sequer tiveram os dentes do siso. Mesmo nesses pacientes ainda há presença de apinhamento. No ponto de vista ortodôntico, a extração dos terceiros molares é recomendada para facilitar as movimentações ortodônticas, proporcionando maior liberdade para a acomodação dos demais dentes.

Como escolher um ortodontista?
A sua decisão final na escolha do médico deve considerar:

- A formação do profissional: certifique-se de que o cirurgião dentista é um especialista em ortodontia e ortopedia facial.  Procure saber em qual universidade ou instituição reconhecida foi realizada a sua formação e especialização. Procure saber quais outros estágios e pós-graduações foram realizadas na área da especialidade;

- A quantidade e qualidade da informação que você recebe na consulta: faça todas as perguntas possíveis para que não fique dúvida alguma. Um bom profissional esclarece todas as perguntas de forma compreensível, discutindo preocupações e explicando as etapas do tratamento, inclusive os riscos e as limitações;

- Sensação de confiança/empatia durante a consulta: perceba se o dentista apresenta as seguintes qualidades: comunicativo, atencioso, organizado, competente, sabe escutar o paciente, amigável, interessado, sincero, disponível, perfeccionista, sem pressa;

- Resultados: procure pacientes que foram tratados pelo profissional e pergunte sobre o grau de satisfação com o resultado e o tratamento. Além de verificar o resultado, pergunte à pessoa sobre todas as etapas do tratamento, de que maneira o dentista se comportou antes, durante e depois do tratamento ortodôntico. Também não se renda aos preconceitos: idade não é sinônimo de competência. Muitos profissionais que atuam há 30 anos não se atualizaram e continuam fazendo do mesmo modo que faziam quando começaram, enquanto profissionais mais jovens podem estar utilizando técnicas mais atuais e eficientes. Isso equivale a dizer que há bons profissionais de todas as idades;

- Não escolha o profissional pelo preço: honorários altos não necessariamente garantem resultados superiores. E honorários baixos nem sempre são um bom negócio. Deve-se considerar que, quanto mais especializado for o profissional, mais elevado será o valor do tratamento. No entanto, o importante é fazer direito na primeira vez e não precisar refazer depois. O retratamento, quando possível, é sempre mais custoso, pois envolve frustração e mais disponibilidade de tempo.

 

 

 

 
Compartilhar
Comentários
Nome Este campo é Obrigatório.
E-mail Este campo é Obrigatório.
Comentário Este campo é Obrigatório.
   
1


Redes Sociais
Acompanhe-nos no Facebook e Instagram

Unidade Jacob Macanhan

Av. Jacob Macanham , 3504
Jardim Claudia - Pinhais
41 3056 6500, 41 9 9889 9489, 41 3033 2021
clinica@odontovillepinhais.com.br
© 2011 - Todos os Direitos Reservados
Produzido por InovaSite